HARTFORD | Gémeos conimbricences ensaiam rancho folclórico em Connecticut

602

Quando, aos 15 anos, a mãe (que nasceu nos Estados Unidos, filha de
emigrantes da Serra de Santo António), os trouxe para a América, a
vida dos gémeos João e Beatriz Frazão Louro mudaria para sempre. “A
princípio não foi fácil”, reconhece João, que completa as frases da
irmã e vice-versa. “Nós sabíamos algum inglês, aquele que tínhamos
aprendido até ao 3.º ano do liceu, mas para mim foi mais difícil.”
Diz Beatriz: “Eu tinha praticado imenso com a minha mãe, o que me
ajudou no aspecto linguístico. Mas ainda assim, tivemos que nos
habituar a toda uma nova rotina, num país diferente, fazer amigos,
enfim, foi um recomeçar de vida para os dois.”

• Para mais pormenores, ASSINE a edição online. Ou compre a edição impressa de 4ª feira, 13 de Fevereiro de 2019.