Bom-dia com o Luso-Americano. Veja aqui os tópicos do dia (6/4).

Comunidades

  • Residentes de Newark indocumentados já podem fazer o teste de COVID-19. A partir de ontem, 27 de Maio, no centro de testes da Ann St. School, residentes indocumentados podem aí aplicar para o cartão de identificação municipal e depois realizarem o teste. Um dos requerimentos é a comprovação de residência. Residentes nessa devem apresentar uma facturas comprovativa da sua residência na cidade e um documento de identificação dos seu país de origem. Os casos em Newark ultrapassam os 7 mil e o código postal 07105 é um dos mais afectados.
  • Estes fim-de-semana continuam as campanhas de apoio aos mais necessitados no Ironbound. O Dança na Eira e o Newark Beira Mar vão organizar uma acção conjunta no domingo. Também no domingo a Casa do Ribatejo ma vez mais vai estar na linha da frente. As duas acções têm a colaboração da União dos Clubes e da cidade de Newark.
  • Na próxima segunda-feira, dia 8 de Junho vai decorrer no Sport Club Português uma reunião promovida pelo vereador Augusto Amador e pelo IBID com o objectivo de ajudar comerciantes a preencherem a sua aplicação para poder reabrir as suas portas na cidade de Newark. O início está programado para as 7 da noite.

Estados Unidos

  • O estado de Minnesota acusou três policiais de ajudar e favorecer o assassinato na morte de George Floyd. O estado também actualizou para assassinato em segundo grau a acusação contra Derek Chauvin, que colocou o joelho no pescoço de Floyd. A acusação mais dura exige que os promotores provem que Chauvin pretendia matar Floyd ou que ele o fez enquanto cometia outro crime.
  • Os protestos continuaram até a noite passada nas cidades de todo o país, em grande parte pacificamente.
  • Floyd teve o coronavírus no início de Abril, quase dois meses antes de morrer, de acordo com uma autópsia. Um serviço memorial para ele será realizado hoje em Minneapolis.
  • A Organização Mundial da Saúde continua a analisar a hidroxicloroquina, um medicamento anti-malária. Porém, no primeiro estudo científico substancial, verificou-se que o medicamento não protege os pacientes do COVID-19.
  • Os EUA proibirão as companhias aéreas chinesas de passageiros de voar para os EUA a partir de 16 de Junho, à medida que as tensões continuarem a aumentar.
  • O HSBC e o Standard Chartered apoiaram a nova lei de segurança nacional da China em Hong Kong.
  • Gary Jones, ex-presidente do sindicato United Auto Workers,  declarou-se culpado de extorsão e peculato.
  • O governador Ralph Northam, da Virgínia, planeia ordenar a remoção da estátua de Robert E. Lee em Richmond, depois que manifestantes em pelo menos seis cidades terem atacado símbolos da Confederação nos últimos dias.
  • Pela primeira vez em 29 anos, a economia da Austrália está em recessão (definida como dois trimestres consecutivos de crescimento negativo do PIB). A pandemia global é a causadora.
  • Numa Operação intitulada Warp Speed, o governo Trump está a trabalhar com sete empresas farmacêuticas para produzir uma vacina COVID-19, informa a Bloomberg. Incluem Moderna, Johnson & Johnson, Merck, Pfizer e um da Universidade de Oxford com a AstraZeneca. O objetivo é ter 100 milhões de doses de uma vacina até o final do ano, disse o Dr. Anthony Fauci, o principal especialista em doenças infecciosas do país.
  • O Remdesivir, o potencial tratamento de coronavírus da Gilead Sciences, poderá gerar US $ 7 bilhões em receita anual até 2022, disse o SVB Leerink na quarta-feira. Os governos vão armazenar a droga para os seus próprios cidadãos em caso de futuros surtos. Lembre-se de que o Remdesivir nem sequer é uma vacina … e ainda não tem aprovação formal nos EUA.

Portugal

  • O movimento de passageiros nos aeroportos caiu 15,4% no primeiro trimestre do ano para 9,5 milhões em termos homólogos, depois de uma subida de 6,3% face ao trimestre anterior.
  • A pandemia de covid-19 fez disparar as denúncias de cibercriminalidade em Portugal e os números dos primeiros cinco meses de 2020 já superaram todos os registos do ano passado, adiantam indicadores da Procuradoria-Geral da República (PGR).
  • O Ministério Público de Braunschweig, na Alemanha, assumiu hoje que Madeleine McCann, desaparecida em 2007 no Algarve aos 3 anos de idade, está morta.