A operação ‘Fora de Jogo’, que implicou buscas em várias entidades ligadas ao universo do futebol, levou à constituição de 47 arguidos, 24 pessoas colectivas e 23 pessoas singulares, revelou quarta-feira a Procuradoria-Geral da República (PGR).

Entre os arguidos contam-se “jogadores de futebol, agentes ou intermediários, advogados e dirigentes desportivos”, especificou a PGR, sublinhando que “em causa estão suspeitas da prática de factos susceptíveis de integrarem crimes de fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais”.

Para mais pormenores, ASSINE a edição online. Ou compre a edição impressa de 6ª feira, 6 de Março de 2020.